terça-feira, junho 09, 2015


Família indignada após morte de caminhoneiro fala em descaso e esquema na região

9


José Roberto Rodrigues da Silva, 50 anos de idade morreu na manhã de hoje no H.B.Jesus aqui em Ponta Grossa.

Natural de Campinas-São Paulo, morava atualmente em Fazenda Rio Grande região metropolitana de Curitiba.

Há três anos trabalhando como motorista na empresa ontem ele fez a sua última viagem.

José se envolveu em um acidente na região de Imbituva, onde ele saiu da pista tombando o caminhão bitrem que estava carregado.

Socorrido, o caminhoneiro foi levado, segundo a esposa e o enteado para o Hospital Municipal de Imbituva, de onde , segundo eles, a equipe que atendeu José, realizou alguns exames e depois liberam a vitima dando alta do hospital

Ao passarem por Ponta Grossa, se deslocando para casa, a vitima começou a passar mal, pedindo por informações o enteado que dirigia o carro foi se deslocando até chegar a Santa Casa, onde imaginava que iriam atender o seu pai( padrasto, mas ele chama de pai) mas no hospital foi perguntado qual convenio seria, ele ao responder que não tinha, recebeu a resposta então que a vitima não seria atendida, nem mesmo poderiam ver o que estava acontecendo com o senhor que estava inconsciente no carro.

O rapaz então ligou para o socorro através do 193, e o socorro veio, uma equipe do Siate do Corpo de Bombeiros se deslocou até a frente da Santa Casa para atender a vitima, na sequência  os Bombeiros socorristas pediram apoio da Alfa do SAMU, a equipe então se deslocou até o local devido a gravidade do caso.

Pelo que pude perceber , foi até tentado novamente um contato através do médico do SAMU com a Santa Casa, mas em vão, o paciente num primeiro momento foi enviado para o H.Municipal, de lá teve que ser transferido para o HBJ, onde não resistiu e morreu hoje às 08h da manhã.

A família estava indignada na noite de ontem em frente ao hospital Santa Casa, pelo descaso com a vida humana, segundo eles primeiro em José ser liberado do hospital em Imbituva, depois por não ser atendido na Santa Casa, e a indignação aumentou ainda mais na manhã de hoje quando o enteado da vitima e sua mãe retornavam para Ponta Grossa,a pedido do Hospital, pois durante a madrugada de hoje , se deslocaram para apanhar algumas coisas necessárias na casa deles em Fazenda Rio Grande,nem bem chegaram lá, a equipe do Bom Jesus já havia ligado pedindo o retorno deles.

E segundo o enteado, ele estava ainda vindo de Curitiba para Ponta Grossa sem saber que o pai já havia falecido, pois o hospital não tinha informado, isso seria feito quando chegassem na casa hospitalar, quando recebeu uma ligação de um homem chamado Edson, o qual disse ser da Funerária e queria que ele assim que chegasse na cidade, fosse até ele para assinar uma procuração, para que Edson, o suposto funcionário da funerária pudesse dar entrada no seguro DPVAT, e que esse procedimento seria para ajuda-los.

A noticia da morte não deveria ser dada desta forma, e muito menos ser dada por alguém de funerária,esta deveria sim ser avisada pela família da morte de um ente querido e jamais ao contrário,  e não há necessidade de assinar procuração para Funerária nenhuma para que estas recebam o seguro que gira em torno dos 13 mil reais, e que todo veículo tem, a não ser que o responsável pela liberação do cadáver ou uma pessoa da família assim o queira.

Luciano Coelho disse que não assinou a procuração



Uma dica sobre seguro DPVAT para todos...


   Informações: e imagem: www.dpvatsegurodotransito.com.br

















9 comentários:

Anônimo disse...

Fico imaginando se não fosse hospital de caridade.

Anônimo disse...

Meu Deus uma sucessão de descaso e desrespeito, espero que apesar da dor a família vá atrás de justiça !

Anônimo disse...

Se fosse o Luciano Hulk ou a Angélica tinham atendido nas presas

Anônimo disse...

É pra deixar qualquer um indignado,ainda mas vendo uma cena dessa,ambulância do siate ter q socorrer uma pessoa na porta do hospital,se o fim,cadê os médicos q fazem o juramento pela vida do próximo????Mas garanto q se eles tivessem mostrado dinheiro ia chover gente pra atender esse cidadão!!!!

Anônimo disse...

Meu Deus nenhuma familia devia passar por isso que descaso....

Anônimo disse...

Como pode um total descaso! Queria ver se fosse com alguem da Familia deles!! Imagine negar socorro a uma pessoa que esta precisando! A que ponto chegou, ter que chamar o SAMU pra entender o paciente no "melhor hospital" de Ponta Grossa! Que horror...............

Anônimo disse...

Fico pensando a que ponto o ser humano chega.
Este suposto funcionários da funerária não esperar nem a família chegar e ja ligar pedindo para dar entrada no dpvat provavelmente para ficarem com o dinheiro.
Agora me pergunto como a funerária conseguiu o telefone da família, esta na hora de alguém investigar essa máfia do seguro????

Anônimo disse...

Meu deus, quanta injustiça

Anônimo disse...

Isso é Brasil a dura realidade

Postar um comentário