sábado, agosto 20, 2016


Dois baleados,1 morto, 5 presos e vários crimes solucionados

11

Policiais Militares do 1º Batalhão de Polícia Militar encaminharam à delegacia na tarde desta sexta-feira (19/08) cinco pessoas suspeitas de envolvimento numa série de assaltos ocorridos em Ponta Grossa e região.

A ocorrência teve início por volta de 14h, no Bairro Jardim Sabará, quando Policiais Militares da 1ª Companhia e do Serviço Reservado, atendendo a uma denúncia anônima, monitoravam uma residência à Rua Osório Fernandes dos Santos, onde supostamente estaria homiziado um infrator já condenado, foragido da justiça.

Ao iniciarem a abordagem, os infratores desobedeceram às ordens das equipes PM e resistiram à prisão efetuando disparos de arma de fogo contra os policiais. Dois deles, de 21 e 30 anos de idade, acataram às ordens policiais e acabaram detidos. Porém, o terceiro, de 20 anos, após adentrar um dos quartos do imóvel, confrontou com a PM e acabou alvejado. Não resistindo aos ferimentos, entrou em óbito, mesmo com o pronto acionamento das equipes do SIATE e SAMU. Já condenado criminalmente por roubo, o infrator havia rompido sua tornozeleira eletrônica de monitoramento.

A arma de fogo do infrator alvejado, um revólver calibre 32, e um colete balístico utilizado por ele durante o confronto, foram apreendidos pela Polícia Cientifíca, que também compareceu ao local. Com os detidos a PM apreendeu ainda diversos produtos de roubo e furto, dentre eles acessórios e chaves de um veículo FIAT/Pálio, roubado em Ponta Grossa no último dia 16/08, aparelhos celulares e alguns eletrônicos, além de aproximadamente 30 gramas de crack, parte já fracionada, e 6 pequenos tabletes de maconha. Um dos detidos, com passagem pelo crime de homicídio, estava foragido da Colônia Penal Agrícola de Curitiba/PR. O outro, também procurado pela justiça, possuía dois mandados de prisão em seu desfavor, por envolvimento nos crimes de roubo e tráfico de drogas.

Outros três envolvidos no confronto inicial se evadiram pelos fundos da residência, adentrando um matagal. Iniciou-se, então, um cerco policial na região envolvendo equipes PM da 1ª Companhia, do Serviço Reservado e Pelotão de Trânsito.

Durante as buscas em meio ao matagal, já próximo à Rua Perciliano Negrão, no Bairro Contorno, houve novo confronto armado entre a PM e os infratores e os três acabaram detidos. Um deles, de 26 anos de idade, foi ferido durante o confronto e encaminhado pelo SAMU a uma casa hospitalar onde recebeu cuidados médicos e, após receber alta, foi conduzido à delegacia. Com várias passagens pela polícia, o infrator já possuía duas prisões decretadas pela justiça.

Os demais envolvidos na ocorrência em meio ao matagal, de 19 e 22 anos de idade, um deles também com mandado de prisão em vigor, foram igualmente encaminhados à delegacia. No local onde foram detidos a PM localizou um revólver calibre 32 com cinco munições deflagradas e 55 gramas de crack.

Todos os detidos são suspeitos de envolvimento em uma série de assaltos registrados em Ponta Grossa e região.

Com informações da P5 do 1º BPM.
1º Tenente QOPM Natália Marangoni de Oliveira – OCS/1º BPM.
2º Sargento QPM 1-0 Lucas Fabiano de Oliveira – Auxiliar.
......

RS POLICIA

 Morto: Gilson Mello, 22 anos, havia rompido a tornozeleira, considerado foragido
Presos: Vanderlei Diego Siero, estava com mandado de prisão
              Alexandro Barbosa, estava com dois mandados de prisão
              Leandro de Almeida, estava com mandado de prisão
             Jean Carlos Ribeiro Betim, estava com dois mandados de prisão, foragido da CPA.
            Maicon, quinto elemento que foi encaminhado, era o dono da casa onde a quadrilha estava.

Segundo as informações apuradas pela página, o Serviço de Inteligência do 1º BPM(P2), estava atrás desses elementos já fazia algum tempo, pois alguns deles estavam envolvidos em crimes com requintes de crueldade aqui em Ponta Grossa.

Um desses crimes, seria a morte de Allan Vinicius da Silva, 18 anos, cujo corpo foi localizado por equipes do Serviço de Inteligência do 1º BPM após uma denúncia anônima. O corpo estava enterrado perto de uma casa abandonada na Vila Cristina, local onde Allan teria sido assassinado por Jean Carlos Ribeiro Betim, o qual teve ajuda de outro elemento para enterrar o corpo, este foi preso no dia que o cadáver foi localizado pelas equipes da P2.


Outro crime cometido por dois integrantes do bando seria o roubo a Técnica de enfermagem no Santa Paula, onde a jovem foi ferida com um tiro na boca de manhã quando saia para trabalhar.

Ao tentarem roubar o celular da jovem, um dos elementos efetuou um disparo em direção a cabeça da vitima, ao disparo acertou a região da boca da jovem que foi socorrida por uma equipe do Siate que a encaminhou para o Hospital Regional.


Em um dos crimes na região do Contorno um dos elementos deu uma coronhada em uma vitima, neste momento a coronha da arma teria soltado um pedaço que ficou no local do crime, o revolver encontrado ontem, estava faltando aquele pedaço no cabo.

Outro crime praticado possivelmente por três deles, e que estava sendo verificado pelas equipes da P2, foi um roubo a um posto na Visconde de Taunay na terça feira dia 16/08, após roubar o local eles levaram o carro de um funcionário do local, um Fiat Pálio, ano 2000 placa AHJ-1155, a chave do carro foi localizada na casa com eles , mas o carro não foi encontrado.
Com a desarticulação dessa quadrilha a Policia Militar de Ponta Grossa solucionou vários casos e retirou de circulação elementos considerados de alta periculosidade. 

































11 comentários:

Anônimo disse...

ponto p sociedade pontagrossensse , e a policia militar q nos representa

Anônimo disse...

PARABENS a todos os policiais que arriscaram sua vida, pra defender a nóssa, pena que a lei e o direitos humanos é a favor de bandidos.

Anônimo disse...

Tinha quer ser mortos tentaram matar várias vítimas ecruzivi os polícias do semiterio esses canalhas não sairia já dá cadeia algum tempo tão na rua de volta cometendo crimes bárbaro de novo parabéns policia militar vcs soa heróis de verdade tem que ser de condenados com medalhas de honra pela a atitude de vcs e a coragem pra combater esses marginais que a cada dia aumenta mais.

Anônimo disse...

Pena que nao morreram todos...

Anônimo disse...

PARABÉNS AOS POLICIAIS E A TODAS AS EQUIPES QUE SE EMPENHARAM NESSA BATALHA...

Anônimo disse...

mais uma vez"bandido bom é bandido morto" parabéns a policia ....otimo trabalho ...

jcr disse...

A polícia prende a justiça solta

Anônimo disse...

A polícia prende a justiça solta

Andressa Costa disse...

Ninguém tem direito de matar ninguém talvez pra vcs ele era um simples "bandido um criminoso" mais para nois ele era uma pessoa muito querida pra quem o conheceu uma criança ele se criou cmg era como um irmão para mim senti muito com a morte do Gilson ele nunca me fez mal nem para ninguém aqui da Vila ele era querido por todos da qui um irmão para mim vcs não sentiram com a morte dele mais eu senti pois até msm um "bandido" Tem família tem amigos um dia ele falou pra mim que queria mudar de vida mais o passado tava o condenando vcs nao o conheciam falar dos seus erros o julgar e fácil mais alguém um dia o deu um conselho como eu amiga dele deu ou a mãe dele deu? Ele queria mudar de vida mais não e fácil sair dessa vida eu o amava como irmão ele era muito mais do que isso �� Não quero de forma alguma julgar os policiais eles só tavam fazendo o trabalho deles mais senti pela morte dele infelizmente ele nao escolheu o msm caminho que nos escolhimos ele se foi e nao podemos fazer mais nada poer ele infelizmente nossa dor e muita espero um dia revelo lá no ceu mais so peço por favor para não desejarem a morte dos outros que estavam lá e nem comencomentarem aqui que foi bom a morte dele por que todos tem família e amigos que ficam muito triste por esses comentários pelo amor de Deus tenham respeito não tenho mais nada pra falar sobre isso obrigada

Anônimo disse...

Infelizmente não concordo,pq eles tem família, como eu faço parte da família de um deles
Independente do que eles sao eles tem familiares e a gente ama de qualquer forma

Anônimo disse...

Quando colocava a arma na cara de um inocente não se sentia arrependido. Quadrilha de vagabundos. Os presos mais cedo ou mais tarde sairão da jaula e voltarão ao mundo do crime, e quiçá terão o mesmo fim do falecido .

Postar um comentário